Boa chance de a Apple lançar um serviço de assinatura ebook

Boa chance de a Apple lançar um serviço de assinatura ebook

Boa chance de a Apple lançar um serviço de assinatura ebook

Em março deste ano, pouco antes de  a Apple comprar a BookLamp , a campeã de assinaturas de músicas Spotify fez uma aquisição muito similar. A Spotify comprou o serviço de recomendação de músicas Echonest de Cambridge por aproximadamente 100 milhões de dólares e, com isso, garantiu a liderança no mercado de recomendação de músicas e do serviço de mineração de dados. Por quê?

Muitos pensam que os serviços de recomendação são ótimos para varejistas online, mas na realidade eles fornecem apenas uma elevação menor para empresas que vendem música, vídeos ou livros à la carte. No entanto, as recomendações são cruciais para a receita de serviços de assinaturas.

Os serviços de subscrição gastam um monte de dólares com marketing para conquistar usuários pagando 9,99 dólares por mês (às vezes um pouco mais, às vezes um pouco menos). O custo para aquisição de clientes pode ser bastante substancial e a chave para um serviço bem sucedido é reter os clientes e impedi-los de fazer um possível cancelamento do serviço. Para evitar a rotatividade, os provedores de internet e outras empresas querem garantir que os assinantes sempre tenham algo interessante para ouvir, assistir ou ler na imprensa com apenas um toque, ou seja, com quase nenhum esforço necessário do usuário.

Este tem sido um princípio no trabalho na indústria desde os primeiros serviços de streaming de música como o Rhapsody lançado há mais de dez anos. O número de listas de reprodução de um usuário criado no Rhapsody foi diretamente proporcional à sua lealdade. Mídias sociais posteriores criaram as playlists compartilhadas e, portanto, conseguiram maior fidelidade e uso dos serviços de assinatura. Não demorou muito até que os serviços de assinaturas descobrisse que as recomendações levariam a uma maior lealdade do internauta.

Isso acontece também com a Netflix que derramou uma quantidade enorme de recursos para a criação de uma grande recomendação e, nomeadamente, um serviço de recomendação que não servem os “melhores filmes”, mas o material mais adequado para assistir, por exemplo, o filme mais indicado para ver numa quarta-feira à noite, após um longo dia de trabalho. A chave não está em fornecer a “melhor coisa”, mas “coisas relevantes” para manter os usuários engajados.

O mesmo princípio se aplica aos serviços de assinatura de ebooks: investir em recomendações relevantes (e, às vezes, o que significa gênero ficção em vez de ficção literária) é fundamental para manter os usuários. Assim, a aquisição da BookLamp pela Apple poderia anunciar a entrada da Apple em serviços de assinatura de ebooks.

É certo que tudo isso é especulação, mas vamos esperar para ver. Há uma boa chance de a Apple lançar um serviço de assinatura ebook até o quarto trimestre deste ano. Com base no que o Kindle IlimitadoOysterScribd e outros custam, ele provavelmente vai custar 9,99 dólares por mês. A Apple pode até conseguir as listas de algumas das cinco maiores editoras na tentativa de conseguir criar um contrapeso ao poder de monopsônio da Amazon.

Fonte: DBW

Assine nosso informativo e receba notícias sobre cursos, promoções e artigos especiais da dualpixel

COMPARTILHAR:
, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Redação Dualpixel

Monitoramos o que há de mais relevante sobre midia impressa e digital para te manter informado.

Deixe uma resposta