Mastigação agora pode ser fonte de energia

Mastigação agora pode ser fonte de energia

Mastigação agora pode ser fonte de energia

Pesquisadores da Escola Superior de Tecnologia de Montreal criaram um dispositivo que transforma a força que usamos durante a mastigação em eletricidade. A invenção dos cientistas Aidin Delnavaz e Jérémie Voix se parece com um protetor de orelha e foi apresentada em um estudo recém-publicado pela organização IOP Science. É como se o corpo humano se tornasse uma pequena fonte de energia limpa.

Mastigação agora pode ser fonte de energia
Aparelho transforma movimento da mastigação em fonte de energia

A mágica do dispositivo está no uso do composto de fibras piezoeléctricas (PFC, na sigla em inglês), material que converte movimento em eletricidade. Essas fibras foram colocadas em uma faixa posicionada abaixo do queixo, amarrada em ambos os lados. Conforme a boca se move, as fibras esticam e transformam a força em energia.

Infelizmente, a quantidade total de energia captada por minuto é de 10 microwatts. A quantidade é insuficiente para abastecer os eletrônicos de hoje, algo que os pesquisadores admitem em seu artigo. Além disso, o produto é extremamente caro. A engenhoca custou cerca de US$ 600 para ser produzida. Isso sem falar no design nada atrativo.

Mastigação agora pode ser fonte de energia

A intenção dos cientistas é mostrar o potencial do PFC como material inteligente, que poderia ser usado no futuro, por exemplo, em roupas que alimentam nossos dispositivos móveis. Outros pesquisadores também vêm trabalhando com fios piezoelétricos para criar tecidos inteligentes. Isso é um indício de que a tecnologia está em avanço. Quem sabe em breve seremos produtores da energia dos nossos próprios gadgets?

Fonte: Techtudo

Assine nosso informativo e receba notícias sobre cursos, promoções e artigos especiais da dualpixel

COMPARTILHAR:
, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Redação Dualpixel

Monitoramos o que há de mais relevante sobre midia impressa e digital para te manter informado.

Deixe uma resposta