Muse CC 2016 – A web sem código e responsiva

Muse e Responsive Web Design

A versão CC 2016 do Adobe Muse marca o início de uma nova etapa no software que democratizou, em especial, entre os designers gráficos, a produção de sites, com foco no layout e usabilidade, sem a necessidade de edição do código.

Agora, o Muse faz parte de um seleto grupo de ferramentas compatíveis com o Responsive Web Design, termo que ganhou força no aclamado artigo de Ethan Marcotte, publicado em Maio de 2010.

Para quem está chegando agora, o Muse, em versões anteriores, criava sites adaptativos, ou seja, obrigava a produção de páginas separadas para cada dispositivo – desktop, tablet e mobile.

Layout adaptativo nas versões anteriores do Muse
Layout adaptativo nas versões anteriores do Muse

O que sem dúvida tornava a produção de sites multiplataforma bem mais trabalhosa e incompatível com alguns fluxos de trabalho, somado ao fato que tanto as páginas quanto os objetos de layout tinham um posicionamento e tamanho fixos, em relação a largura de cada dispositivo.

A partir desta versão podemos produzir uma única página web, com layout fluido, no qual os objetos serão redimensionados e/ou posicionados conforme a largura do navegador. É possível começar um novo projeto como layout fluido ou converter um site já criado como layout fixo em fluido.

Configuração do projeto para layout fluido
Configuração do projeto para layout fluido

Quando começamos um projeto responsivo, a primeira etapa é escolher qual será o layout inicial – desktop, tablet ou mobile. Inicialmente o conceito de mobile-first ganhou força, pela funcionalidade, contudo no último ano o layout responsivo se libertou dos devices, dedicando maior atenção ao conteúdo, abordagem conhecida como content-first.

Se você é novo no mundo responsivo, então precisa se atualizar, ao menos, com duas novas ferramentas do Muse – breakpoint e scrubber. Breakpoints são a base para um layout fluido, pois marcam os “pontos de quebra” do layout conforme a largura do navegador.

Funções na régua - breakpoint e scrubber
Funções de breakpoint e scrubber

Movimente a ferramenta scrubber até encontrar no layout uma sobreposição de objetos ou qualquer variação que o prejudique. Nesse ponto crie um novo breakpoint, e ajuste o layout, repita essas etapas até atingir a largura mínima de 320px.

Muse-Responsive2
320 pixels é a menor largura recomendada

Obviamente a produção de layouts responsivos não se resume a esses passos, mas com as novas funções do Muse, designers e profissionais das áreas de comunicação, marketing e afins podem contar com uma excelente ferramenta para projetos multiplataformas.

»» Visite nossa página demo e assista um vídeo sobre esse recurso especial.

Muse e CC Libraries

muse-cclibraries

Outro recurso muito bem-vindo são as CC Libraries. Painel integrado ao portal do Adobe Creative Cloud, que permite o compartilhamento de imagens, estilos, vetores, cores entre os principais aplicativos do Adobe CC.

A inclusão das CC Libraries indica a importância do Muse no portfólio de programas da Adobe, que fica agora, integrado ao Photoshop, Illustrator e InDesign, entre outros mobile apps, como o Capture CC.

Muse e Transição dos States

muse-states

E as novidades não param! Um recurso típico da web é a mudança da aparência de objetos e botões conforme o evento (mouse ou touch) aplicado. O Muse gerencia muito bem a aparência dos objetos, através do painel States (Normal, Rollover, Mouse Down e Active). E agora podemos destacar as mudanças de estados com uso de transições, disponíveis diretamente no painel States.

Muse e SVG

O suporte a arquivos SVG agora é nativo. É possível importar imagens, nesse formato, diretamente para o layout do Muse, bem como utilizar arquivos SVG nos widgets de Slideshow. Muito prático!

Muse e Adobe Comp

AdobeCompCC

E, por fim, apresento a integração do Muse com o Adobe Comp. Um prático app para criação de protótipos e layouts, que já possui exportação direta para Photoshop, InDesign e Illustrator. E, partir desta versão, para o Muse também. Utilize os widgets do Muse diretamente no Adobe Comp através das CC Libraries.

COMPARTILHAR:
, , ,

Felipe Santos

Especialista Adobe em InDesign, Photoshop e Digital Publishing Suite, com 25 anos de experiência nas áreas de pré-impressão, editoração e tratamento de imagens, transita desde 2010, após o lançamento do iPad, entre as midias impressa e digital. Apaixonado por publicações digitais é entusiasta de novas ferramentas, plataformas e formatos.

Deixe uma resposta