Photoshop CS2

Photoshop CS2

Olá,

Neste tutorial irei pontuar para vocês algumas novidades do Photoshop CS2 (versão 9.0).

Pequenas Novidades

São pequenos ajustes inseridos a cada versão e que muitas vezes ficam esquecidos perante as grandes inovações, mas que no uso diário garantem uma melhor utilização do aplicativo.Entre os principais destaco:

  • A possibilidade de alterar a Opacidade e Blend Modes (modos de mistura) enquanto usa o Free Transform (transformação livre)
  • Maior controle para comparar fotos, agora com as opções Tile Horizontally e Tile Vertically, no menu Window > Arranje.
  • Acesso ao recurso de Flatten Images (achatar imagens) pelo menu pop-up, bastanto clicar com botão direito em qualquer camada, você tem acesso a esta e outras opções relacionadas as camadas.
  • Batch Renaming (renomeação em lote). O recurso de Batch Renaming acessado pelo utilitário Bridge permite, agora no CS2, além de renomear e mover seus arquivos, criar uma cópia para outra pasta mantendo os arquivos originais intactos.
  • Atalhos para os comandos Image Size (Alt – Control – I) e Canvas Size (Alt – Control – C)
  • Novas opções para cursores de pincel, na opção Dispay & Cursos em Edit > Preferences há agora a possibilidade de visualizar o tamanho real de pinceis com bordas difusas, marcando a opção Full Size Brush Tip e habilitar a colocação de uma cruz no centro do pincel para guiar os movimentos durante a edição, clicando em Show Crosshair in Brush Tip
  • Layers sem link com apenas um click, agora com um Control – click sobre o ícone de link na paleta Layers retira os links de todas as camadas selecionadas.
  • Melhor visualização nas caixas de dialogo dos novos filtros inseridos, como Smart Sharpen, Lens Correction, entre outros.
  • Paleta Layer mais otimizada, pois agora entre outras coisas, permite que você selecione mais de uma camada por vez, usando apenas a ferramenta de movimentação. Facilitando a edição de elementos durante a elaboração de trabalhos.
  • Novos Recursos e Funcionalidades

    Agora vamos listar as alterações de “peso” que estão inseridas nesta nova versão, e que certamente vão alterar o modo de trabalho de muitos profissionais, permitindo alcançar resultados melhores e mais rápidos em diversos tipos de trabalhos.

  • Adobe Bridge – O mais novo utilitário da Adobe, sendo  considerado uma evolução do File Browse, inserido na versão 7 do Photoshop, este amadureceu na versão CS e ganhou a liberdade agora, pois atende a todos os aplicativos do pacote CS2, fazendo o elo entre eles.
    Sua principal função e organizar, visualizar e catalogar imagens e aplicar comandos automatizados.
    Entre eles temos: otimizar imagens para web, opções do conversão de modo de cor, contact sheet II, web photo gallery, entre outros.
  • Suporte a Câmera Raw – Maior controle e precisão – O que era bom ficou ainda melhor, entre as possibilidades temos: permite abrir mais de um arquivo por vez e aplicar alterações em todas com apenas um comando; ter um controle numérico dos tons da imagem com o uso do conta-gotas em até 4 pontos de referência; as opções Shadows e Highlights na barra superior, quando habilitadas destacam áreas na imagem muito escuras ou muito claras, um alerta sobre possíveis erros durante o tratamento. Ideal para fotógrafos digitais.
    No próximo boletim iremos trazer uma descrição completa sobre o plug-in Câmera Raw do Photoshop CS2.
  • Saiba Mais

  • Formato Raw (cru) – O formato Raw é um tipo de arquivo gerado pelas câmeras digitais e que contem toda a informação da imagem com o mínimo de processamento aplicado, ou seja, ainda não foi convertida para um formato final, como .JPG e/ou .TIF. Sendo assim, possui as informações “cruas” e por isso permite ajustes, correções e ampliações com qualidade superior se comparado os resultados utilizando comandos e formatos já conhecidos.
    Atualmente cada fabricante de câmeras digitais tem seu formato proprietário de Raw, por exemplo .NEF (Raw da Nikon), se faz necessário ter o software da Nikon instalado para abrir a imagem e então salva-la como .TIF e ajusta-la no Photoshop.
    A partir da versão CS o Photoshop consegue abrir diversos formatos Raw de diferentes fabricantes, mas a cada lançamento de marca ou modelo diferente, muitas vezes, é preciso baixar um “patch” para tornar o Photoshop capaz de abrir este arquivo.
    Para acabar com essa corrida sem fim, a Adobe lançou um formato aberto para integrar fabricantes de equipamentos e desenvolvedores de softwares para assim falarem a mesma língua. Surge então o DNG – Digital Negative Specification, com a intenção de unificar num único padrão as características do formato Raw, acabando com os formatos proprietários. E esta funcionando, o padrão DNG já foi adotado por duas das principais fabricantes de tecnologia e equipamentos: a Hasselblad e a Leica. Além disso, outras empresas de software pretendem oferecer suporte ao padrão, como a PhaseOne (Capture One) e a Extensis (Portfolio).
  • Vanishing Point – Com certeza o maior destaque desta versão. Através de criação de um “grid”, uma malha de recobre partes da imagem mantendo a proporção e perspectiva.
    Pode-se capturar informações da imagem e aplica-las em outras áreas utilizando ferramentas como o Stamp (carimbo) aliado as opções de textura e luminosidade do Healing (Band-Aid), de seleção retangular e pincel.

  • Image Wrap – Nessa versão o Photoshop traz para as imagens um comando semelhante ao Text Wrap, que aplicar um série de distroções ao texto, sem tirar a capacidade de edita-lo.
  • O Image Wrap permite você aplicar ajustes de forma, tamanho, posição, perspectiva e outros atributos, criando efeitos de volume e dimensão para a adaptar sua imagem original ao contexto final.

    Na Barra de Ferramentas….

  • Spot Healing Brush – Uma otimização no uso da Healing Brush, pois com essa nova opção não há necessidade de uma referência, com apenas o click do mouse é possível corrigir imperfeições do original.
  • Removendo olhos vermelhos – Outra ferramenta bem prática, que remove os olhos vermelhos em segundos.
  • Tratamento de Imagens

  • Exposure – Permite um controle avançado da exposição das imagens feito na versão anterior somente pelo Plug-in Câmera Raw. Um recurso muito poderoso.
  • Shadows – Highlights – Presente já na versão CS, permite recuperar detalhes perdidos tanto nas partes mais escuras (sombras) como nas mais claras (realces). Ótimo para uma abordagem inicial no tratamento, recuperando detalhes antes de aplicar um ajuste mais fino com os Levels (níveis) ou Curves (curvas).
  • Filtros

    Três novos filtros merecem um destaque especial, são eles:

  • Surface Blur – Em Filters > Blur, permite um controle maior através do comando Threshold (limiar), pois aplica o desfoque preservando áreas de detalhes, ideal para ajustes finos em tons de pele.
  • Lens Correction – Em Filters > Distorcion. Serve para corrigir ou aplicar distorções nas imagens, apesar de apresentar uma caixa de dialogo com várias opções, o uso do filtro não traz tantas dificuldades.
  • Smart Sharpen – Finalmente o Photoshop trouxe um controle mais profissional para, na minha opinião, o principal filtro usado no tratamento de imagens. O Smart Sharpen é uma evolução do USM (Unsharp Mask) e apresenta um controle independente para áreas claras e escuras, permitindo uma otimização maior na aplicação do filtro, pois são nessas áreas que se encontram o maior nível de detalhes. Além de salvar configurações personalizadas possui um tamanho de preview generoso, comum para os novos filtros do CS2.
  • GERENCIAMENTO DE MEMÓRIA*

    É muito importante configurar corretamente a memória de sua máquina, seja na hora da compra de uma nova estação de trabalho, ou na distribuição de memória de uma máquina já existente.

    1. Quanto deve ser?
    É recomendável que seu computador tenha no mínimo 256MB para rodar o Photoshop e o sistema operacional de forma razoável. Com 512MB é melhor e, com 1024 MB, ótimo. Veja abaixo como configurar.
    Novo equipamento: Para determinar a quantidade de memória em uma nova máquina vale a equação de três vezes o tamanho do arquivo, somados de 100MB e da memória exigida pelo sitema operacional. Sendo assim, temos:
    Tamanho do arquivo + 100MB + Sistema Operacional = Valor necessário
    Configuração no PC: A memória é gerenciada pelo sistema operacional, porém pelo Preferences podemos determinar o quanto vai ser alocado para o aplicativo. Nesse caso, a melhor opção é destinar 75% para o Photoshop e o restante fica para o sistema operacional.
    2. Memória virtual
    A memória virtual pode estar ligada, mas em alguns casos pode reduzir o desempenho do processamento.
    3. Scratch disk
    Espaço destinado ao processamento das informações de History, Undo, entre outros itens, deve ser sempre superior à quantidade de memória Ram.
    Outra forma de calcular o tamanho do Scratch disk é multiplicar o tamanho da imagem utilizada por quatro. Esse valor deve estar disponível em seu disco rígido. Mais uma vez, temos:
    Tamanho do arquivo x 4 = Valor necessário de espaço em disco
    4. Compartilhando o Scratch
    Através das preferências do aplicativo, pode-se compartilhar o espaço de Scratch em até quatro discos diferentes, em um máximo de até 200GB.
    Ao configurar uma máquina, uma opção é trabalhar com dois ou mais discos rígidos com a mesma velocidade. É possível instalar o sistema operacional e o aplicativo em um disco e usar o outro para rascunho, aumentando o desempenho do equipamento.

    5. Mídias externas
    Nunca utilize mídias externas, como disco de Zip drive ou discos ópticos, para o processamento de rascunho.
    6. Seu disco rígido sem fragmentação
    Sempre que você executa uma operação, vai notar que seu disco rígido é acessado; isso pode gerar fragmentação com o tempo. Sendo assim, utilize programas para manter seu disco sempre otimizado.
    7. Sempre dê preferência para mais Ram
    Prefira sempre adicionar mais memória Ram ao seu computador do que ampliar a quantidade de memória virtual usado pelo aplicativo.
    8. Eficiência
    Através da paleta na parte inferior do documento, é possível escolher a opção Efficiency para descobrir como está o desempenho do processamento.
    9. Evite ferramentas para duplicar memórias
    Alguns aplicativos no mercado permitem multiplicar sua memória. Isso pode causar uma série de problemas e incompatibilidades no sistema.
    10. Configure o ATM
    Uma vez que o Photoshop trabalha em conjunto com o ATM, configure o mesmo com 512K a 1MB.
    11. Cache
    Ajuste o mesmo de acordo com o tamanho de suas imagens. Para imagens até 50MB coloque o valor até 4, e aumente o valor conforme seus arquivos vão crescendo.
    O cache configurado com o valor “1” (um) pode aumentar a fidelidade de cores, mas reduz bastante o desempenho. Desative a opção “Use Cache for Histograms”.

      *fonte revista Desktop Publishing
    Tutorial 1 e Tutorial 2 – são duas tabelas trazendo uma lista de cores com código Pantone e seu correspondente em CMYK.
    Tutorial 3 – Entenda o funcionamento dos Blend Modes (modos de misturas) do Photoshop e realize fusões e manipulações profissionais em imagens, neste tutorial são listadas suas principais características e como reagem em determinadas aplicações. Os Blend Modes são encontrados, além da paleta camadas, nas ferramentas de Edição e Pintura – Carimbo, Pincel, Pincel do Histórico, Desfocar, Nitidez, entre outras.


    Assine nosso informativo e receba notícias sobre cursos, promoções e artigos especiais da dualpixel

    COMPARTILHAR:

    Redação Dualpixel

    Monitoramos o que há de mais relevante sobre midia impressa e digital para te manter informado.

    Deixe uma resposta