A caminho do 6: Conheça o InDesign 5.5 parte 1

A caminho do 6: Conheça o InDesign 5.5 parte 1

A caminho do 6: Conheça o InDesign 5.5 parte 1

Esta atualização – o primeiro “ponto cinco” desde o lançamento do InDesign 1.5 – inclui algumas melhorias para usuários de impressão e uma série de benefícios para designers de publicação digital

tablet_tintas

Eu sei o que você está pensando: “Espere, uma nova versão do InDesign? Mas eu ainda nem sei usar todos os recursos do CS5!” Bom, me permita reduzir sua ansiedade de atualização pela metade, pelo menos, até porque não estamos falando de números inteiros aqui.

Bem-vindo ao InDesign 5.5! Caso você trabalhe apenas com impressão, provavelmente poderá retomar sua exploração do CS5 e perder apenas alguns úteis recursos. Mas se você estiver interessado nas publicações do mundo digital (e você deve), vai descobrir que essa nova versão do InDesign foi feita para facilitar sua transição de tinta para elétrons.

As mudanças no InDesign CS5.5, principalmente, tornaram a exportação para diversos formatos digitais mais eficiente, prática e atraente. Se você está interessado em criar PDF’s interativos, gerar documentos em EPUB para distribuição em e-books, exportar para HTML, ou até mesmo trabalhar no grandioso mundo das revistas eletrônicas feitas para os clientes da Adobe Suite Digital Publishing, há recursos no InDesign CS5.5 que irão melhorar seu fluxo de trabalho e os resultados finais. Aqui vai um olhar em algumas características do CS5.5, neste admirável novo mundo do design em diversos formatos.

 

tinta_laranja

Mais recursos para o formato EPUB

 

Em muitos casos a conversão para oformato EPUB causa danos em projetos complexos de impressão. Elementos de design, com posição específica na página são empurrados para dentro de uma massa única de texto, muitas vezes causando problemas no layout e na sequencia de leitura. O InDesign CS5.5 tem novas ou melhoradas características de layout que irão lhe dar mais controle sobre o que acontece na conversão para o formato EPUB.

Figura 1

 

Painel Artigos (Articles Panel)

InDesign CS5.5 permite agrupar texto, gráficos e imagens como artigos (Figura 1), que significa, basicamente, um monte de coisas que você quer que sejam apresentadas juntas dentro do fluxo de leitura do e-book. Você estabelece o que é incluído em um artigo e como isso é ordenado, arrastando objetos da página para o novo painel de Artigos. De lá, você pode reorganizar sua ordem, adicionar novos itens ou excluir os que você não deseja que estejam no formato EPUB . Quando você for exportar o documento para EPUB, as novas opções de exportação lhe dão a possibilidade de basear sua escolha na ordem de sua página de layout, estrutura de XML, ou a ordem que você estabeleceu no painel de artigos. Antigamente você era sujeito a resultados desordenados, com base na ordem dos elementos ancorados na caixa de texto. A opção de artigos lhe dá um meio de evitar a destruição completa do layout preservando a posição original dos elementos na página.

Quando você começa a arrastar um objeto a partir do seu layout para soltá-lo no painel de artigos, o objeto realmente se move através de sua tela como se estivesse mudando de dentro do layout. Uma vez que você o solta no painel de artigos, ele volta para onde estava, mas é um pouco desconfortável assistir o layout ser temporariamente interrompido. Para evitar o choque visual, selecione o objeto e o adicione através do ícone “mais” na parte inferior do painel de artigos.

Figura 2

Ancorar objetos de forma rápida e fácil

Se há um recurso no InDesign CS5.5 que tem implicações para todos os seus usuários, independentemente do meio ao qual se destina o seu documento, é a capacidade de arrastar e soltar objetos ancorados em algum lugar. Objetos ancorados não são novos, usuários de InDesign têm sido capazes de colocar gráficos e quadros de texto no fluxo, os ancorando em locais específicos no texto em execução. Mas no CS5.5, em vez de uma desajeitada operação de recortar e colar, você pode simplesmente pegar uma pequena caixa azul no canto superior direito do objeto que você quer, e arrastando o ponto indicador de inserção para onde você deseja ancorar o objeto (Figura 2). Quer reposicionar o ponto de âncora? Nada de usar o Story Editor para isso, arraste a caixa de âncora novamente, definindo o ponto de inserção em seu novo local desejado.

Note que quando você ancora um objeto desta forma, ele fica exatamente onde estava – não fica colado como um objeto inline, mas posiciona-se como um objeto ancorado.

Se você está convertendo livros InDesign para arquivos EPUB, esse pequeno recurso vai aumentar a sua produtividade consideravelmente, porque você precisa ancorar imagens (ou uma imagem e uma legenda, agrupados) para que eles apareçam no lugar apropriado no fluxo do EPUB.

Dica: se voce deseja mover “fisicamente” o objeto para a massa de texto, arraste a pequena caixa azul com o shift presionado.

 

Figura 3

Mapeando estilo de parágrafo com tags de HTML

Se você ainda não adotou a prática de estabelecer estilos de parágrafo e caractere para cada elemento do texto no documento InDesign, agora você tem mais uma razão para fazê-lo. InDesign CS5.5 permite estabelecer uma relação entre os estilos de parágrafo e sua formatação via CSS (Cascading Style Sheet) em EPUB ou HTML. (tecnicamente, EPUB é HTML por dentro) No painel de estilos de parágrafo voce pode mapear o estilo, Título, por exemplo, para a tag H1, que é a mais apropriada, na exportação (Figura 3).

 

Dica: Sempre preencha o campo Class com o nome do estilo criado no InDesign, caso contrário a formatação do parágrafo será perdida.

 

Figura 4

 

Adicionando Textos Descritivos para Imagens

Os alt-text fornecem uma breve descrição de um elemento visual que pode ser substituído pela própria imagem quando necessário. Por exemplo, leitores de tela utilizando o alt-text para descrever imagens para os deficientes visuais, além disso, mecanismos de busca procuram pelo alt-text, uma vez que não conseguem “ver” a imagem. No passado, você só poderia criar um alt-text indo até o painel Estrutura.

No InDesign CS5.5 é bem simples. Você seleciona a imagem, escolhe Opções de Exportação de Objeto no menu Opções, e depois escolhe se prefere utilizar dados XMP existentes (metadados que você ou outra pessoa adicionou no Photoshop ou Bridge, por exemplo), informações que foram incluídas na estrutura do fluxo de trabalho, ou qualquer outra descrição personalizada (Figura4).

 

Definindo Formato e Qualidade de Imagem para Exportação

A mesma caixa de opções de exportação de objetos que você abriu para colocar o alt-text, também fornece opções sobre como uma imagem deve ser exportada. Aquelas opções de exportação incluem a definição de uma das quatro opções de resolução (72 96, 150 ou 300 ppi); se ela deve aparecer em um tamanho fixo ou ajustado em relação à largura de tela do disposito (e-Reader, Tablet), e se você quer exportar como JPG, GIF, ou (novo no CS5.5) o frequentemente melhor PNG.

Esta caixa de diálogo não é apenas para frames gráficos, você pode transformar qualquer objeto, ou grupo de objetos, em uma imagem, verificando a caixa de rasterização personalizada, nas guias EPUB e HTML. Isto vem a calhar quando você quer colocar no seu título uma fonte que os leitores de ebook não têm, ou quando você precisa garantir que um grupo de objetos (mesmo apenas linhas ou molduras vazias, que normalmente não poderiam ser exportadas para EPUB e HTML) apareçam do mesmo modo no seu ebook.

Acompanhe na segunda parte deste artigo os outros recursos que a versão CS5.5 do InDesign traz para o formato EPUB e no segmento de produção de conteúdo para tablet, através do Digital Publishing Suite. Até lá.

 

Referências: InDesign Magazine, Adobe
Assine nosso informativo e receba notícias sobre cursos, promoções e artigos especiais da dualpixel

COMPARTILHAR:
, , , , , ,

Redação Dualpixel

Monitoramos o que há de mais relevante sobre midia impressa e digital para te manter informado.

Deixe uma resposta