Como publicar para mobile com Adobe InDesign CC

As publicações digitais já fazem parte do dia a dia de muitos profissionais e empresas, contudo ainda há no mercado dúvidas e insegurança, em especial, sobre a escolha do formato e como distribuir as publicações, e regularmente recebo e-mails do tipo.

“Temos uma equipe de excelentes ilustradores e diagramadores, gostaríamos de desenvolver internamente o conteúdo de nossa editora com interatividades. Algumas dúvidas também, são pertinentes e espero que nos ajude: Com a produção interna, como poderá ser a distribuição do conteúdo, produzido? Nossa equipe será capaz de realizar este processo? Quais as alternativas?”

Continue a leitura deste artigo, para conhecer as possibilidades associadas ao Adobe InDesign, na produção e distribuição de publicações para mobile.

Aplicativos

Apesar dos mitos existentes, aplicativos – ou simplesmente apps –  reúnem o maior número de recursos e benefícios para as publicações digitais. É através deles que agências, como a Dezoito comunicação, e publicações como a Carta Capital conseguem envolver seus públicos numa experiência de imersão no conteúdo.

Elo
Confira a revista Elo, criada pela Dezoito Comunicação, e distribuída para tablets e smartphones, pela Dualpixel, no Google Play e Apple App Store.

Publique, separadamente, versões para tablets e smartphones (renditions). Essa capacidade de gerenciar edições, para diferentes dispositivos, mantendo a aparência do layout, é um recurso, ainda, exclusivo dos apps. Além das lojas oficiais (Apple App Store e Google Play) é possível distribuir as publicações na web, para acesso via desktops.

Este modelo atua de forma integrada, desde a produção da publicação até a entrega do conteúdo ao leitor, assegurando que o usuário tenha a mesma experiência em todas as plataformas. Outros destaques ficam pela notificação push, que permite alcançar o leitor a qualquer momento, uso de relatórios para monitorar as publicações, bem como, o controle de acesso por login e senha.

Relatorios
Monitore o uso do aplicativo com relatórios analíticos.

5 Mitos sobre a produção e distribuição com apps

1 – Não há como realizar busca de texto nas edições. 
Algumas plataformas permitem o recurso de busca dentro das publicações, mesmo em conteúdos produzidos pelo Adobe InDesign.

2 – As publicações são apenas para apps. Não há versão para web.
É possível utilizar o mesmo arquivo de InDesign para publicação, via apps e web, para acesso via desktops. Mantendo todos os recursos interativos.

3 – É preciso conhecer programação. 
Crie sua publicação no InDesign sem editar uma linha de código.

4 – Não é possível vender pelos apps. 
 três modalidades de venda através dos apps: 1) Venda avulsa das edições; 2) Venda do aplicativo; 3) Venda de assinatura direto com a empresa (via login/senha).

5 – Para toda venda realizada 30% fica com a loja (Apple ou Google Play).
É possível realizar a venda de assinaturas pelo e-commerce da empresa e disponibilizar as edições através de login e senha, sem taxas adicionais.

INDESIGN > MOBILE

Então, sozinho o InDesign não consegue publicar conteúdo para apps. É preciso de uma ajuda externa, ou melhor, uma plataforma que será responsável pela produção do app, compatível com a publicação e recursos interativos criados no InDesign.

A mais conhecida é a plataforma Adobe DPS(1), contudo não é a única. Na verdade, no modelo de distribuição por apps, diferentes dos eBooks, não há um formato padrão. Algumas empresas concorrem com recursos e benefícios semelhantes. [Este tópico será abordado, em detalhes, num próximo artigo].

CASES DE SUCESSO

A distribuição por apps atende a variados segmentos de negócios, como comercial, corporativo, educacional e editorial. Confira alguns exemplos.

RECURSOS INTERATIVOS

Saiba quais recursos interativos estão disponíveis para aplicação direta no InDesign, sem uso de programação.

interativo2
Clique aqui para visualizar o exemplo

QUER MAIS INTERATIVIDADE?

Amplie seu portfolio de recursos, com o uso de plug-ins e extensões que potencializam as funções do InDesign.

 

eBooks

No mercado de livros digitais (eBooks), o formato ePUB é o mais utilizado. Esse arquivo é semelhante a uma página web, e no seu conteúdo pode haver, textos, imagens, tabelas, hyperlinks, multimídia, sumário, bem como metadados para identificação da obra, como título, autor, editora, entre outros.

Publicações que não exijam uma diagramação fixa, são as mais indicadas, pois o layout se adapta aos diferentes formatos e proporções dos dispositivos. Recursos de busca e anotações são destaque e atendem, especialmente, a livros didáticos e de consulta, por exemplo.

Em suas últimas atualizações, o InDesign têm recebido melhorias e novos recursos que atendem a produção do ePUB. Fique atualizado sobre essas mudanças com a leitura dos artigos, aqui e aqui.

Conheça os canais de distribuição e os principais leitores compatíveis com ePUB3

E O LAYOUT FIXO

Existe uma variação do formato ePUB, chamada de Layout Fixo, pois como sugere o nome, mantém a posição de todos os objetos da página diagramada. O diferencial deste formato, exportado diretamente pelo InDesign CC 2015, está no suporte a todos os recursos interativos do programa, incluindo multimídia, galeria de imagens, pop-ups, botões e até animações.

Contudo, permite a produção de apenas um formato de documento, 768 x 1024px, por exemplo. O que restringe a experiência de leitura em telas menores, pois a publicação será redimensionada. Calma, que o recurso de zoom da página está disponível.

A solução, neste caso, é a distribuição de diferentes formatos de documentos para diferentes dispositivos, conforme tamanho e proporção. Tal recurso é conhecido pelo nome de Renditions (citado na parte de aplicativos). Existe uma iniciativa do IDPF para inclusão desta funcionalidade no formato ePUB. Através da marcação <rootfiles>, entre outros ajustes, será possível a identificação de quatro atributos (Mode de Acesso, Idioma, Layout e Media). Sanders Kleinfeld detalha o uso dos Renditions neste artigo.

rootfile-rendition
Com o uso do Renditions podemos direcionar os arquivos para visualização somente quando condições mínimas forem atendidas pelos leitores. Neste exemplo, em negrito, temos filtros por dispositivos com tela colorida, compatível com layout fluído e largura mínima de 768px.

(1) DPS – A plataforma DPS está, nos últimos meses, em constante atualização. Vale conferir esses artigos para entender as mudanças, aqui e aqui.

Quer saber mais?

Vamos conversar!

Tenho cases e referências de projetos que irão te ajudar na tomada de decisão. Na dualpixel, somos especialistas em soluções para dispositivos móveis e, com certeza, podemos te orientar na escolha do melhor formato/plataforma para distribuição mobile.

 

COMPARTILHAR:
, , ,

Felipe Santos

Especialista Adobe em InDesign, Photoshop e Digital Publishing Suite, com 25 anos de experiência nas áreas de pré-impressão, editoração e tratamento de imagens, transita desde 2010, após o lançamento do iPad, entre as midias impressa e digital. Apaixonado por publicações digitais é entusiasta de novas ferramentas, plataformas e formatos.

Deixe uma resposta