O que aconteceu e o que não aconteceu em 2014

O que aconteceu e o que não aconteceu em 2014

No ano passado e no início deste ano, blogs de tecnologia estavam cheios de especulações sobre o que iria acontecer em 2014. As empresas com maior destaque para entregarem novos dispositivos e serviços inovadores eram a Apple, o Google, a Samsung, a Amazon e a Microsoft. Vamos dar uma olhadinha para trás e ver o que realmente aconteceu e o que não aconteceu em 2014.

APPLE

O que aconteceu?

Ninguém gera tanto burburinho sobre seus produtos como a Apple, por isso, as expectativas no início de 2014 foram elevadas. Uma coisa que foi prevista por analistas e jornalistas é que a Apple finalmente iria investir forte na tendência “phablet”. É claro que tem que ser dito que muitos esperavam o anúncio do iPhone com 5 polegadas de volta em 2013, e isso somente aconteceu em 2014. O tão esperado “iWatch” também foi anunciado no keynote 2014, espelhando muitos dos mesmos recursos encontrados no Galaxy da Samsung.

O que não aconteceu?

O site Tecnology Tell, entre outros, previu que um rumor de longa data se tornaria um produto tangível em 2014: a Apple TV com 4k. Para os desinformados, a ideia de a Apple entrar no mercado de fabricação de TVs já tem algum tempo. Porém, a realidade é que é improvável que isso aconteça dada a complexidade logística da indústria, a falta de forte investimento de fabricação da Apple e as margens de lucro apertadas.

AMAZON

O que aconteceu?

Depois de longos rumores, finalmente chegaram os smartphones da Amazon, mas a sua recepção até agora tem sido pouco comentada. Certamente, a previsão do Examiner.com que era um “smartphone para explodir todos os outros” foi, talvez, um pouco hiperbólico. No entanto, eles ampliaram os serviços da Amazon Prime que era apenas um serviço de entrega no dia seguinte, dada a sua expansão do serviço de streaming.

O que não aconteceu?

A ABC News previu com otimismo que a Amazon lançaria o serviço “drone delivery”, acreditando que seria, certamente, uma virada de jogo gigantesco para a gigante do varejo online. Porém, eles tiveram obstáculos significativos com a Autoridade Federal de Aviação sobre os regulamentos de aviões não tripulados, que, de acordo com fontes recentes, estão empurrando os testes para fora das fronteiras dos EUA.

GOOGLE

O que aconteceu?

O Chromebook do Google ganhou força em 2014, algo que era esperado por muitos analistas. Curiosamente, o computador do Google foi mais bem aceito em áreas específicas como a educação.  Uma previsão provisória para 2015 é que ele pode desencadear o aumento da concorrência entre Amazon e Google no setor de educação, até porque este é um setor que está nos grandes planos da Amazon para o próximo ano.

O que não aconteceu?

Este ano era para ser “o ano dos wearables“, ou seja, os famosos aparelhos portáteis, inclusive, porque os produtos do Google, o Google Glass apresentado no CES 2014 foi anunciado para ser o grande lançamento da empresa. Na realidade, nós não vimos o dispositivo no mercado, pois ele teve um lançamento limitado para desenvolvedores. Por mais que os colaboradores culpem o desempenho medíocre do produto, a realidade é que o Oculus Rift e produtos concorrentes tem roubado muito espaço, particularmente desde a compra do Facebook.

MICROSOFT

O que aconteceu?

Sob nova liderança desde agosto, a Microsoft lançou o tablet Pro 3 e, progressivamente, tem se afastado dos seus produtos RT. Talvez inesperadamente, o Xbox One conseguiu bater o mercado de jogos, assustando os opositores e conquistando uma posição respeitável no mercado norteamericano.

O que não aconteceu?

O TechRadar, entre outros, esperavam que a Microsoft mudasse seu ciclo de atualização de produtos do Windows em algo semelhante ao da Apple, tendo versões atualizadas anualmente. Mesmo 2014 sendo o ano em que o  “8.2” foi lançado, na realidade, a Microsoft transferiu a maior parte de seus esforços de desenvolvimento para o “10.0”. Os planos para futuras revisões da plataforma 8 foram muito criticados e continuará a ser revisto.

SAMSUNG

O que aconteceu?

A previsão razoavelmente unânime, ecoado por vários analistas, foi que a Samsung continuaria a empurrar o 4k nas TVs e aparelhos. Enquanto os aparelhos da Samsung (e aparelhos em geral) estão lentos para abraçar a tendência 4k, os fabricantes de TV estão vendo um apoio significativo na TV de Ultra-alta definição, a UHDTV, que está se tornando cada vez mais visível no chão das fábricas. O preço ainda não está em um ponto de desencadear a adoção generalizada, mas é só uma questão de tempo para se tornar acessível.

O que não aconteceu?

O acordo de longa data esperado pela Samsung para lançar o telefone Tizen, desenvolvido com a Intel, não aconteceu em 2014. A grande dose de expectativa era que ele fosse lançado até dezembro, mas na realidade, até agora nada aconteceu. Da mesma forma, o Galaxy Gear, recebeu uma recepção fria, levando muitos a lançarem dúvidas sobre o produto da Samsung, facilitando as previsões positivas para o SmartWatch da Apple. Falando de forma mais ampla, a Samsung provavelmente viu o ano mais sombrio de todos os grandes jogadores de tecnologia acima, com analistas cada vez mais pessimistas sobre suas perspectivas.

COMPARTILHAR:
, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Redação Dualpixel

Monitoramos o que há de mais relevante sobre midia impressa e digital para te manter informado.

Deixe uma resposta